A História do Tijolo Cerâmico

Conheça neste artigo um pouco da história do tijolo cerâmico e de sua evolução até os dias de hoje.

O tijolo é um produto cerâmico, produzido através de argila, água e em alguns casos aditivos, com formato definido em norma e amplamente utilizado na construção civil. Sendo considerado um dos principais materiais de construção.

O tijolo que é produzido em argila, tem tom avermelhado e pode ser maciço ou furado. A sua fabricação é iniciada com a extração da argila da natureza que posteriormente passa por um processo de extrusão que lhe confere os padrões geométricos desejados, sendo por final cozido em um forno para que finalmente seja disponibilizado para a construção de casas,edifícios, entre outros.

As primeiras informações a respeito do tijolo que se tem conhecimento, datam de 7500 a.C, pois historiadores e pesquisadores encontraram vestígios de tijolos que datam daquela época na cidade de Jericó no Oriente Médio.

As buscas na história do tijolo nos contam ainda que os primeiros tijolos cozidos em alguma espécie de forno, surgiram cerca de 3000 anos antes de Cristo.

Naquela época os tijolos eram considerados um grande avanço tecnológico, pois permitiam a construção de edifícios com maior resistência, a temperatura e a umidade.

Por volta de 1200 a.C a fabricação do tijolo se difundiu também pela Europa e pela Ásia.

Outra vantagem do tijolo naquela época era a economia e substituição a seus antecessores a madeira e a pedra, em regiões onde havia escassez e dificuldade de encontrar este tipo de material em quantidade abundante para atender as necessidades da época.

 

Na antiguidade os tijolos não eram unidos com a utilização de argamassa, mas sim através de betume e palhas.

Dentro da história de evolução do tijolo, podemos destacar os tijolos romanos que possuíam um formato comprido e diferente do habitual, porém muito utilizado nas construções das cidades romanas.

Atualmente os tijolos ainda são fabricados através da extração de argila da natureza. Após a extração a argila é preparada com água em um equipamento conhecido como picador.

Após a mistura a argila passa por uma extrusora, que é um equipamento utilizado para dar ao tijolo o seu formato, que atualmente é normatizado pela ABNT. Após a extrusão o tijolo é levado para o forno onde são cozidos até que cheguem ao ponto e coloração ideal para comercialização e distribuição a lojas de materiais de construção e construtoras.

 

Atualmente o produtos cerâmicos como os tijolos e as telhas precisa seguir uma série de normatizações a fim de garantir a sua qualidade e o atendimento às exigências do mercado.

Com a evolução da humanidade, o tijolo passou de ser apenas um simples material de construção e passou a servir como item decorativo e parte na composição de estruturas arquitetônicas.

 

A indústria ceramista no Brasil conta com mais de 6.000 fábricas em diversas regiões do país que são representadas pela Anicer – Associação Nacional da Indústria Cerâmica, que surgiu mediante a necessidade de fortalecer o setor e buscar  melhorias para os seus associados, contribuindo assim para o crescimento do setor ceramista.

 

Já baixou nosso infográfico? Clique abaixo, é GRÁTIS: